top of page

CRÍTICA IMACULADA

Um filme que poderia ser mais um clichê no gênero de terror ambientado na igreja católica, mas não é.


O gênero de terror sempre foi explorado pela sétima arte, e dados momentos já foi dito que estaria perto do fim, já que o público que gosta de tomar "sustos gratuitos" é bem nichado.


Mas é fato que os filmes de terror, bem como seus diretores e roteiristas, foram se reinventando ao longo dos anos, e a alguns anos iniciou-se um movimento de filmes de terror com roteiros ambientados em igrejas católicas e conventos, explorando o "santo" VS "profano", onde padres e freiras enfrentam na maioria das vezes entidades demoníacas, como foi visto em filmes como a Freira 1 e 2, e o exorcismo do papa, por exemplo.


Pois bem, este poderia ser novamente o caso do filme Imaculada, que estreou no fim de maio deste ano, mas surpreendentemente não é.



A partir deste ponto teremos spoiler do enrendo.


O roteiro acompanha Cecilia (Sydney Sweeney), uma jovem que sobrevive a um evento traumático que quase causa sua morte. Em decorrência deste evento ela decide se tornar freira, já que acredita que DEUS a salvou por ter um plano para vida dela.


Ela se muda para um convento na zona rural da Itália, onde eventos misteriosos começam a acontecer, culminando em uma gravides completamente improvável, pois até então Cecilia é virgem.


Mas ao contrário do que se mostra, esta gravidez não tem nada de milagrosa, ela então tenta com toda determinação resolver este mistério nada sobrenatural, e em consequência disto, começa a ser atormentada por forças perversas, enquanto confronta segredos sombrios e horrores do convento.


Dirigido por Michael Mohan, o roteiro do filme é competente em prender a atenção do telespectador, dispendendo de momentos tensos, e um gore moderado. O jump scare é utilizado sem exagero, o que já é muito a se dizer para filmes de terror atuais que tem cada vez menos qualidade de roteiro, e utiliza cada vez mais subterfúgios para segurar a atenção do público.



Sweeney entrega com competência uma protagonista que não possui muitas camadas, mas suficiente para o que o roteiro pede. A versatilidade da atriz é algo a ser elogiado, uma vez que é a primeira vez que vemos a mesma em um papel que exige dela, cenas mais tensas.


Diferentemente do que vimos, a atriz entregar em filmes como Madame Teia, Todos Menos Você, ou mesmo na série Euphoria.


A recepção tanto da crítica especializada como dos fãs no Rotten Tomatoes foram convergentes, dando 72% de aceitação dos críticos e 60% para o grande públicos.

Já no IMDB, o filme foi avaliado como mediano, tendo como nota 5,8/10.


Imaculada pode ser classificado como um filme de suspense/ terror que entrega o que promete, principalmente se levarmos em conta o modesto orçamento de 9 milhões de dólares.



Nota: 6,0/10


----------------------------------------------------------------------------------

Curtiu nossa crítica, quer nos conhecer melhor, segue nossos perfis nas redes sociais:


11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page