top of page

Onde está o Deus Cristão no Universo Marvel?


A resposta pode não ser tão simples quanto você espera, mas podemos ver isso em uma das melhores histórias de Thor:





"Pergunte-me Amanhã", essa é a história que nos leva a questionar a verdadeira natureza de Thor, o deus do trovão. Será ele um deus ou um alienígena? O que tem Thor a ver com o Deus Judaico-Cristão?


Caso não conheça, essa é a Graphic Novels Thor Céus e Terra. Nessa revista, temos 4 Capítulos, cada um com uma história melhor que a outra. No capítulo #3 temos a narrativa rica e profundamente tocante de "Pergunte-me Amanhã". Nela, somos convidados a explorar a complexa interseção entre fé e o conceito de divindade, por meio de um encontro inesperado entre Thor, o Deus do Trovão, e um padre, meramente, mortal.


A história começa em uma casa onde vemos um idoso moribundo. Ele se apega ao seu terço e encara a janela como se esperasse alguém... e esse "alguém" chega: Thor, o deus do trovão!




Thor se aproxima da cama do moribundo e da-lhe algo para aliviar sua dor. Ele não está ali para salvá-lo da morte eminente, está ali para velar suas últimas horas de vida, talvez minutos e trazer finalmente a resposta que tanto o homem espera.



"Não achei que você viesse" diz o convalescente em sua cama. Isso mostra que ambos já se conhecem.


O homem o implora para que lhe responda, mas Thor diz: "Pergunte-me amanhã".

É notório que ele não terá um amanhã, pois a morte o cerca e o levará em pouco tempo, mas Thor insiste: "Pergunte-me amanhã".


Para você entender o contexto e qual pergunta é essa ao qual o homem anseia a resposta, a história volta 4 anos no tempo. Durante uma batalha contra criaturas de Asgard que assolam a Terra, os Vingadores, liderados por Thor, lutam bravamente.


Após a vitória, enquanto os heróis são cercados pela imprensa, Thor se retira discretamente, mas é abordado por um padre cujo carro ele acidentalmente esmagou ao chegar. O padre, intrigado e confuso, confronta Thor com perguntas sobre sua natureza divina e como isso se alinha com sua própria fé.

Thor, apesar de sua estatura divina, sente-se inseguro sobre como responder. Ele promete ao padre que voltará em um ano para sanar suas dúvidas.


No entanto, um ano se passa sem que Thor cumpra sua promessa, revelando sua própria insegurança e incerteza sobre sua natureza e origem. Este dilema é algo que muitos de nós enfrentamos: a busca por respostas sobre nossa existência e crenças.


Dois anos depois, Thor finalmente retorna e, em uma conversa honesta, admite não ter todas as respostas. O padre, agora doente e com medo da morte, revela que sua maior angústia é a incerteza sobre a fé. Movido pela compaixão e curiosidade, Thor jura encontrar uma resposta que concilie a fé do homem com a sua própria existência.



Voltamos para o presente, onde Thor faz companhia ao padre moribundo. Para ilustrar sua busca, Thor conta a história de dois meninos fascinados por um truque de mágica realizado por seu tio. Um aceita o truque e segue em frente, enquanto o outro permanece obcecado em descobrir o segredo. Thor compara essa curiosidade infantil à sua própria busca por respostas sobre o universo e a existência. O diálogo a seguir é uma das reflexões mais brilhantes que você verá em uma HQ da Marvel:



A narrativa nos leva a refletir sobre o papel da fé em nossas vidas. Thor, um deus questionador, e o padre, um homem de fé inabalável, ambos exemplificam que a verdadeira fé não está na certeza, mas na busca contínua por respostas e na confiança nos outros e em si. Esta história nos lembra que a fé transcende religiões e se manifesta na curiosidade, na dúvida e na confiança.


"Pergunte-me Amanhã" é uma poderosa narrativa que nos lembra que, sejam deuses ou mortais, todos buscamos respostas. No universo das HQs da Marvel, essas histórias servem como metáforas para nossas próprias vidas, inspirando-nos a abraçar nossas dúvidas e continuar a busca por compreensão e fé.




35 visualizações1 comentário

1 Comment


O que é a fé do que nada mais em crê em algo que não está ao alcance da nossa compreensão. Minha visão e opinião

Like
bottom of page